teste

Durante a 51ª Assembleia Regional de Pastoral do Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi anunciada a Diocese de Lages como sede da 25ª Romaria da Terra e das Águas do estado de Santa Catarina. O anúncio foi feito pelo bispo de Tubarão e presidente do Regional Sul 4 da CNBB, dom João Francisco Salm e pelo bispo de Lages, dom Guilherme Antônio Werlang, na manhã do último sábado, 25 de agosto.

A Romaria da Terra e das Águas de Santa Catarina chega, em 2019, à sua 25ª edição, trazendo um grande legado. Várias temáticas aprofundadas ajudaram na mobilização e conscientização de milhares de romeiros e romeiras que já participaram do evento, sobretudo no cuidado com a casa comum. A última edição reuniu cerca de 10 mil romeiros e romeiras, no dia dez de setembro de 2017, no município de Pescaria Brava (SC), Diocese de Tubarão.

É a quinta vez que a Diocese de Lages sediará a Romaria da Terra e das Águas. O município de Otacílio Costa (SC) sediou a sexta edição do evento no ano de 1991, reunindo 45 mil participantes; Curitibanos (SC) recebeu a 13ª Romaria no ano de 1998, com cerca de 25 mil participantes; a 15ª edição foi realizada em Salto Caveiras (SC), no ano 2000, com aproximadamente 20 mil pessoas e a última, a 20ª edição, realizada no ano de 2007, no município de Correia Pinto (SC), com a presença de 6 mil romeiros e romeiras.

A Diocese de Lages ainda não divulgou a cidade que irá acolher o evento que, em 2019, acontecerá no dia 15 de setembro. Tradicionalmente a Romaria da Terra e das Águas em Santa Catarina é realizada no mês de setembro, nas proximidades da festa da Exaltação da Santa Cruz.

25ª Romaria da Terra e das Águas acontecerá na Diocese de Lages

Durante a 51ª Assembleia Regional de Pastoral do Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), foi anunciada a Diocese de Lages como sede da 25ª Romaria da Terra e das Águas do estado de Santa Catarina. O anúncio foi feito pelo bispo de Tubarão e presidente do Regional Sul 4 da CNBB, dom João Francisco Salm e pelo bispo de Lages, dom Guilherme Antônio Werlang, na manhã do último sábado, 25 de agosto.

A Romaria da Terra e das Águas de Santa Catarina chega, em 2019, à sua 25ª edição, trazendo um grande legado. Várias temáticas aprofundadas ajudaram na mobilização e conscientização de milhares de romeiros e romeiras que já participaram do evento, sobretudo no cuidado com a casa comum. A última edição reuniu cerca de 10 mil romeiros e romeiras, no dia dez de setembro de 2017, no município de Pescaria Brava (SC), Diocese de Tubarão.

É a quinta vez que a Diocese de Lages sediará a Romaria da Terra e das Águas. O município de Otacílio Costa (SC) sediou a sexta edição do evento no ano de 1991, reunindo 45 mil participantes; Curitibanos (SC) recebeu a 13ª Romaria no ano de 1998, com cerca de 25 mil participantes; a 15ª edição foi realizada em Salto Caveiras (SC), no ano 2000, com aproximadamente 20 mil pessoas e a última, a 20ª edição, realizada no ano de 2007, no município de Correia Pinto (SC), com a presença de 6 mil romeiros e romeiras.

A Diocese de Lages ainda não divulgou a cidade que irá acolher o evento que, em 2019, acontecerá no dia 15 de setembro. Tradicionalmente a Romaria da Terra e das Águas em Santa Catarina é realizada no mês de setembro, nas proximidades da festa da Exaltação da Santa Cruz.

Hoje é a Solenidade de São José

Faremos uma pausa na Penitência Quaresmal para celebrar o amável esposo de Maria e pai adotivo de José.
O glorioso São José é o homem da confiança de Deus.
Deus confiou a ele Seus maiores tesouros: Nossa Senhora e o Menino Jesus.
Façamos hoje a nossa homenagem a São José.
Peçamos a ele a graça de cumprir fielmente a vontade de Deus e de alcançar a graça de uma boa morte na hora que Deus nos chamar para a viagem final.
Salve, São José!

SÃO JOSÉ, ESPOSO DE MARIA, A MÃE DE JESUS.

Bom dia meu amigo e minha amiga.

SÃO JOSÉ, ESPOSO DE MARIA, A MÃE DE JESUS.

Começo o texto da reflexão de hoje saudando todos os homens e mulheres de nome ou derivados desse nome santo, JOSÉ. Ter um padroeiro no céu, por alguém que foi escolhido a dedo pelo próprio Deus para ser ESPOSO da mulher mais perfeita e santa que já foi nascida em toda história da humanidade, só pode ser também o mais santo e perfeito dos homens, inclusive superior a Abraão, o pai da fé e de Moisés, Elias ou outras figuras proeminentes entre os humanos. Tudo bem que Jesus declara que “de todos os nascidos de mulher, ninguém foi superior a João Batista”, mas refere-se ao Batista, enquanto PRECURSOR do próprio Messias. Porém entre os que tiveram por vocação e missão ser ESPOSO, ninguém supera São José.

Nestes tempos de crise por onde vive e passa o casamento e em consequência, a família, é sumamente importante voltar apresentar São José como modelo de esposo exemplar, fidelíssimo à sua esposa, dedicado protetor familiar, capaz dos maiores sacrifícios e mesmo de colocar sua vida em risco pela segurança da esposa e filho, mesmo que este não seja de seu sangue carnal, mas recebido por mandato divino.

Enquanto esposo de Maria e pai adotivo ou nutrício de Jesus, como é mais conhecido na Igreja, não deixou de cumprir uma vírgula de suas obrigações. Além de extremado amor por sua amada, assumiu a paternidade em plenitude. Certamente é também MODELO DE EDUCADOR DO FILHO.

Gostaria de dedicar uma pequena palavra ao “Pai Educador”. Diretamente a bíblia não se refere a isso, mas deixa transparecer sua dedicação na educação do filho Jesus e de como foi exemplo e modelo cujos passos o filho seguiu a tal ponto que, antes de ser conhecido e reconhecido como Messias ou Filho de Deus, todo povo, de Jerusalém de Nazaré e da Galiléia, o conhecem e reconhecem como “FILHO DO CARPINTEIRO”. Com certeza haviam muitos carpinteiros naquela região, mas José deve ter sido tão expoente na profissão e paternidade assumida, que não precisavam nem dizer seu nome. Bastava dizer “O CARPINTEIRO” de Nazaré que todo mundo já sabia que se tratava de José, o Esposo de Maria e pai de Jesus.

Ainda uma palavra sobre a importância do JOSÉ, PAI QUE ENSINA O FILHO A TRABALHAR. Graças a Deus, naquele tempo não haviam algumas leis do nosso mundo globalizado, tecnicista, evoluído e da pós modernidade, onde com toda “sabedoria” de hoje em dia, se afirma que a criança e adolescente não podem “TRABALHAR” e aqui me refiro ao “TRABALHO” não como exploração infantil, mas OCUPAÇÃO DE PEQUENAS TAREFAS E RESPONSABILIDADES DOMÉSTICAS e que é melhor deixar os filhos e as filhas entregues À DESOCUPAÇÃO ou então à internet com seus jogos, diversões e brinquedos que deseducam para a ética, a moral e incitam para a violência, o consumismo, a imoralidade e a total falta de ética e onde para se “VENCER” vale qualquer recurso e desonestidade.

É muito importante notar que Jesus ACOMPANHAVA E AJUDAVA SEU PAI JOSÉ NA OFICINA DE NAZARÉ, ORA ALCANÇANDO UMA FERRAMENTA, OU BUSCANDO ALGUM OBJETO E FAZENDO PEQUENOS EXPERIMENTOS NA MEDIDA QUE CRESCIA E PODIA, ATÉ APRENDER TODA PROFISSÃO DO PAI, e NADA disso causou TRAUMAS em Jesus. Pelo contrário, Jesus gostava ser chamado de Carpinteiro ou Filho do Carpinteiro.

Temos muito a aprender de JOSÉ, ESPOSO E PAI.

São José, esposo de Maria e pai nutrício de de Jesus, Rogai por nós e protegei os casamentos modernos e as famílias.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang

A Posse Canônica de Dom Guilherme

Hoje 17 de março de 2018, bela manhã lageana, a Diocese de Lages  e o Presbitério acolhe com grande alegria o seu 5° Bispo Diocesano, Dom Guiherme Antônio Werlang, M.S. F.
A igreja mãe da Diocese, a Catedral – igreja do Bispo, onde ele toma a Posse Canônica, foi pequena para acolher tantos Bispos, Padres, Diáconos, Seminaristas, Religiosas, familiares, amigos, e o querido Povo de Deus.
A Posse de um Bispo é um forte momento eclesial numa Diocese. Manifesta o recomeçar de uma nova fase na caminhada, um novo ardor, novas expectativas pastorais. A esperança se renova. E o Reino de Deus  continuará a desabrochar, crescer e produzir muitos frutos. Bispo, Clero e Lideranças Leigas   caminhado juntos, na unidade e na sintonia do Espírito de Deus.
Dom Guilherme tem seu lema colhido do cerne do Evangelho de João, 10, 10. “para que todos tenham vida”. Que ele, com a graça de Deus, seja inspirado a cada dia na promoção, cuidado e defesa da vida humana tão ameaça e sofrida em nosso tempo atual. Que ele leve a todos e a todas a vida plena que Cristo veio nos trazer.
Todos estão felizes e ansiosos  para acolher e iniciar um novo tempo na Diocese de Lages, com Dom Guilherme.
Ele vem em nome do Senhor!
Que o Bom Pastor o ajude e ilumine na missão.

MÁQUINA MORTÍFERA À MODA BRASILEIRA?

Bom dia minha amiga e meu amigo.

MÁQUINA MORTÍFERA À MODA BRASILEIRA?

Enquanto o poderio da “CASA GRANDE” continuar violento, massacrador, opressor, injusto, impositor e acima da lei, permanecerá ASSASSINO sobre a “SENZALA BRASILEIRA”.

Esta “casa grande” somente mudou a cor de sua pintura externa ao longo dos 5 séculos, desde a escravidão e morte do primeiro indígena aprisionado e arrancado de sua liberdade na fraterna convivência com a selva, ou do primeiro negro e negra, aqui trazido acorrentado, marcado à ferro quente, açoitado no pelourinho, humilhado em sua dignidade, vendido e comprado em leilões ou individualmente à semelhança de bois e vacas e finalmente morto se não quisesse se SUBMETER “DOCILMENTE” aos mandos, ordens e caprichos de SEUS DONOS DA CASA GRANDE.

O brutal ASSASSINATO da vereador do Rio, Marielle Franco é simplesmente a prova mais cabal que o CALA BOCA OU MORRE que impera por ordem da CASA GRANDE se mostra com toda sua crueldade, seja no Campo, quando se luta pelo Sagrado DIREITO à terra; nas Favelas na luta pela dignidade de vida, seja na POLÍTICA, quando não se entra na corrupção, seja na Voz profética de NEGROS que se levanta contra toda forma de injustiça e discriminação; seja ONDE FOR CONTRA TODOS E TODAS QUE DESEJAM MUDAR A CARA DO BRASIL E ARRANCÁ-LO DOS DOMINADORES E OCUPANTES DA CASA GRANDE, DESDE PEDRO ÁLVARES CABRAL.

A “Casa Grande” é uma máquina mortífera sobre a “Senzala”.

Quando se ouve a aberração que faz sucesso: “Que tiro foi este” que até o momento só ouvi em paródias ou chacotas, me convenci que vou ter que ouvir, porque a pergunta, “Que tiro foi este”, faz sentido quando temos que responder, se foi do tráfico, se foi do poder político, se foi do ministério público, se foi do latifúndio, se foi da mineração, se foi do judiciário, se foi das bancadas do Congresso Nacional: Bancada Ruralista; Bancada do Boi; Bancada da Bíblia com seus “pastores e bispos evangélicos; se foi da Bancada da Bala; enfim, QUE TIRO FOI ESTE???

Mataram mais uma IRMÃ. MATARAM MAIS UM IRMÃO.

E nós além de chorar, fazer atos passageiros de protestos, o que mais podemos e devemos fazer para MUDAR OS PRIMEIROS 500 ANOS DE NOSSA HISTÓRIA E CONSTRUIR UM PAÍS A PARTIR DA SENZALA?

Deus ilumine e dê força para não desistirmos nunca da luta pela dignidade e justiça.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang.

NOVA RESIDÊNCIA SÓ PODE SER SIGNIFICATIVA SE MEU CORAÇÃO E CABEÇA TAMBÉM ESTIVER DISPOSTA E ABERTOS AO NOVO.

Bom dia meu amigo e minha amiga.

NOVA RESIDÊNCIA SÓ PODE SER SIGNIFICATIVA SE MEU CORAÇÃO E CABEÇA TAMBÉM ESTIVER DISPOSTA E ABERTOS AO NOVO.

Desde ontem de noite, com minha chegada a Lages, estou tentando ler o que Deus vai querer de mim. Comecei a pensar nisso ainda no avião da AZUL com o qual vinda de Campinas – SP, quando chegamos exatamente no horário previsto a Lages. Quero dizer, até EM CIMA de Lages, porque mesmo depois de 3 tentativas não houve condições para aterrissagem e tivemos que seguir até Florianópolis e retornar de VAN até Lages, o que levou mais 4 horas, embora a distância seja apenas de 225 km.

Vi que de tudo posso perguntar: Senhor! O Senhor quer me ensinar ou mostrar algo neste episódio? É apenas uma falta de infraestrutura do aeroporto que está há duas semanas com os aparelhos de controle de vôo estragados ou tem algum SINAL que posso interpretar como uma lição a ser lida sob o olhar da fé?

Estou propenso a dizer que na meditação e reflexão, embora isso certamente não fosse intenção de Deus, mas falha administrativa da INFRAERO ou de quem tem responsabilidade de reparar o aparelho danificado, estou propenso a dizer que este fato está me mostrando que DEVO ESTAR PRONTO E ABERTO AO NOVO E NÃO AO QUE EU POSSA PLANEJAR E PREVER COM EXATIDÃO.

Assim, morar em casa nova, cidade ou diocese nova, sem que eu me torne NOVO no coração e na mente, NÃO VAI TRAZER O NOVO PARA LAGES.

Vou mostrar algumas fotografias tiradas agora mesmo dos fundos da nova residência e prédios ao redor para dizer que se a paisagem geográfica e física é nova, EU terei que estar novo, porque tenho que imaginar a “FOTOGRAFIA NOVA DA PASTORAL DAQUI, A NOVA CULTURA DAQUI, A NOVA ORGANIZAÇÃO NO MODO DE SER IGREJA E EVANGELIZAÇÃO DAQUI, A NOVA FORMA DE ADMINISTRAÇÃO DAQUI E AS NOVAS PESSOAS E AGENTES DE PASTORAL DAQUI.

Obrigado Senhor, porque ao invés de me incomodar com o transtorno aéreo de ontem, o Senhor está me possibilitando a uma releitura da VERDADEIRA MUDANÇA que está acontecendo e está é MUITO MAIS bela e desafiadora do que Sair do Goiás – Ipameri e VIR A BELA E SANTA CATARINA – Lages.

Deus abençoe a todos nós.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang.

GRATIDÃO E PERDÃO!

Bom dia meu amigo e minha amiga.

GRATIDÃO E PERDÃO!

Nesta ainda quase madrugada quando saio de Ipameri rumo à Goiânia para embarcar para Lages, o lugar onde minha MISSÃO deve ter continuidade, por mais que eu pensasse, não tenho outras palavras a escrever que não sejam, GRATIDÃO E PERDÃO.

Gratidão a Deus por ter me chamado a Ipameri e tudo o que aqui pude vivenciar, partilhar e crescer. Agradecer à Igreja por ter-me confiado responsabilidade tão grande, quanto ser pastor de um Rebanho que é de ninguém mais e nem menos que do Filho de Deus, Jesus. Gratidão cada uma das pessoas, católicas ou não que aqui foram parceiros do Projeto que não era meu, mas do Reino.

SEM DÚVIDA ALGUMA, SEM MENOSPREZAR NENHUMA EXPERIÊNCIA ANTERIOR, ESTA FOI ÚNICA PARA MIM.

Sei que sem todas as experiências, cargos, trabalhos anteriores, desde a primeira responsabilidade de formador de seminário de ensino fundamental e médio, a auxiliar na administração de seminário, reitor, capinando na roça com os seminaristas, montando a cavalo ou vacinando o gado, ou subindo em caminhão ou trator para o plantio ou colheita, até o de ser professor de filosofia, orientador de teologia, animador vocacional ou Pároco em algumas paróquias e Coordenador de pastoral em Dioceses, SEM ESTAS EXPERIÊNCIAS ANTERIORES eu não teria conseguido viver aqui tudo o que hoje AGRADEÇO com um SIMPLES, MAS SINCERO, “MUITO OBRIGADO”!

Tudo quanto puder AGRADECER ainda será pouco e sempre haverá a quem deveria ter gratidão mais destacada porque como Jesus ensinou AMOU mais esta Igreja, este Projeto de Evangelização e a minha própria pessoa, conforme Lucas 7,47.

A segunda palavra que deixo hoje aqui registrada é PERDÃO, porque por mais que eu queria ou tenha me esforçado para ser justo, tenho falhado em muitos momentos. mesmo que involuntariamente ofendi, magoei, falhei, não estendi suficientemente a mão à mãos estendidas em pedidos ou súplicas, mesmo que fosse de um “oi”, de um sorriso, de uma palavra. Perdão porque não consegui ser 100% dedicado a Deus no serviço aos irmãos e irmãs, ou por der feito ou permitido diferenças, conforme a religião, o grau de ensino ou a condição social. Perdão por ter sido severo ou duro em demasia em muitas ocasiões. Perdão pelos pecados pessoais ou por corroborar com pecados sociais. enfim, PERDÃO a Deus e a cada irmão ou irmã que não se sentiu amado por mim como irmão ou irmã.

Dentro de poucos minutos é hora de deixar a casa, a Diocese, a Paróquia da Catedral do Divino Espírito Santo, a cidade, e todas as cidades e comunidades urbanas ou rurais que perfazem a Diocese de Ipameri, e “ir para a Terra que o Senhor Deus me indicar”, assim como Javé disse certo dia a Abraão, “Sai de tua terra e vai para a terra que eu te mostrar” Gn. 12,1.

Aos que ajudaram e apoiaram, aos que criticaram, resistiram, foram à favor ou contra, aos que falaram bem ou mal, aos que me levantaram muitas vezes ou me empurraram, … INDISTINTAMENTE A TODOS E TODAS MINA GRATIDÃO E MEU PEDIDO DE PERDÃO.

Meu abraço fraterno a todos os irmãos e irmãs da Diocese de Ipameri e amigos e amigas desse chão sagrado do Goiás do Divino Pai Eterno e da Mãe de Jesus de tantos títulos.

Obrigado aos que leram esta mesma mensagem, mesmo não sendo daqui e compreenderam que hoje reservei atenção especial para quem me tratou de forma tão especial como este Povo Goiano, nestes 28 anos de missão.

Ó senhor Deus, abençoa estes teus filhos e filhas tão queridos. Abençoa também todos os meus novos irmãos e irmãs em cujos corações e casas peço licença para chegar. Abençoa também todas as pessoas que me acompanham diariamente ou sempre que podem em minhas simples palavras.

A bênção de Deus de infinita misericórdia, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre todos e todas, hoje e permaneça para sempre. Amém!

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang

Missa de Ação de Graças pela missão de D. Nelson Westrupp, sjc como Administrador Apostólico da Diocese de Lages

Fim de mais uma fase…
No dia 13 de março de 2018, quando completou exatamente treze meses da missão de Dom Nelson em Lages, grande emoção e ação de graças a Deus, tomou conta da Catedral Diocesana de Lages, Nossa Senhora dos Prazeres, com a Santa Missa em agradecimento a Deus pelo pastoreio de Dom Nelson, Administrador Apostólico de Lages.
Foi um tempo de graças, muitas graças e desafios também… eles fazem parte das coisas verdadeiramente boas.
Muitos Padres e o Povo de Deus! Isso alegra o coração e torna o hino de gratidão mais rico e agradável a Deus.
Emoção sob o canto, lindamente entoado pelo Coral da Catedral com Marlene Dantas Panisa e o Povo: “Eu confio em Nosso Senhor, com fé, esperança e amor…” Há gratidão nos olhares e há saudade também… A confiança em Deus, Nosso Senhor.
Foi um tempo de graças e crescimento. Uma experiência sem igual!
“Vou navegar nas águas deste mar….”.
Sim! Missão cumprida em Lages e Dom Nelson continuará sua missão, sem duvidar, sem medo de sonhar, pois é cidadão do infinito. Foi sempre assim. Desde o primeiro sim aos 11 anos de idade. Parabéns, Dom Nelson, exemplo de homem de Deus fiel e consciente de sua missão e dos encargos que o Senhor da Messe lhe confiou e confia.
Os Padres, os  Diáconos Permanentes, as Religiosas e grande participação do Povo da Diocese e dos amigos que Deus nos concedeu nesse curto período de um ano e um mês, marcaram presença neste momento especial da Missa. Valeu muito a pena.
Obrigada, Povo Serrano! Foi muito bom ter estado com Vocês!