Brasão Diocesano

Escudo:
Campo verde em chefe de uma coroa, acompanhada de três flores de lis dispostas em faixa e uma situada no mantel azul cuja pétala central tem a forma de uma Cruzeta. Os móveis do escudo: coroa, as flores de lis e a gota sobre a coroa são do mesmo metal. Sobre o fundo verde, cortando o escudo, uma faixa em cinza, retratando a parte superior de uma parede, símbolo universal das cidades.

Insígnias:
Ao centro e sobre o escudo, a Mitra dourada, símbolo do poder espiritual e da dignidade episcopal, forrada de vermelho, ornada por uma pequena cruz de prata. Do interior da Mitra, descem duas fitas douradas e forradas de vermelho. Por trás do escudo, uma Cruz processional, que nos recorda nossa situação de peregrinos rumo à casa do Pai e um Báculo que, qual cajado do Pastor, representa a autoridade do Bispo em sua diocese. Ambos, dourados, se cruzam formando um X.

Comentário:
O escudo retrata, heraldicamente, o nome da diocese e da sua Excelsa Padroeira – Nossa Senhora dos Prazeres, Mãe de Deus e da Igreja. Seu título é “dos Prazeres” referindo-se a “Alegria”.

Representam o título da Padroeira os seguintes símbolos heráldicos:

·        A gota de ouro sobre a coroa: é a gota do Divino Espírito Santo que operou o milagre da Concepção pura e imaculada. E assim “O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14), para salvar o mundo.

·        Ao meio do mantel azul sob a coroa, uma flor de lis cuja pétala central tem a forma de uma Cruzeta, lembrando a alegria da Virgem, em gerar em seu ventre o Salvador do mundo.

·        A Coroa: Lembrando a alegria de Maria quando coroada Rainha do Céu e da terra.

 

O verde, do campo do escudo, é a cor litúrgica da esperança, que sucede o Pentecostes e antecede o Advento da Paixão de Cristo no Calvário. No plano temporal, o verde é a expectativa de bonança para a Diocese, alude os verdes campos da serra catarinense.

O mantel azul, símbolo de Maria Santíssima, Mãe de Deus e da Igreja, Rainha do universo e Guia da nova evangelização, quer traduzir, ainda, a virtude, a candura e a nobreza de caráter pelo desprendimento, pela pobreza, que ornaram a Padroeira.

As três flores de lis em ouro recordam as três virtudes teologais, fé, esperança e caridade. Como a maior delas é a caridade, “Deus Caritas est”, é destacada pela pétala central, em forma de Cruz no mantel azul. Aludem, também, a Santíssima Trindade e as três caravelas do descobrimento do Brasil: Santa Maria, Pinta e Niña, trazendo os primeiros Evangelizadores.

Sobre o fundo verde, cortando o escudo, uma faixa em cinza, retratando a parte superior de uma parede, símbolo universal das cidades, alude às origens do topônimo da cidade sede-diocesana e, no caso, Lages, cuja origem do nome recorda a pedra laje, sobre a qual se construiu a cidade.

Elaboração Heraldica: Pe. Carlos Pamplona – Chanceler da Cúria

Arte: Infinity Produções

Download do brasão em PDF ou Alta Resolução

Top