GRANDE ENCONTRO DE FAMÍLIA.

Bom dia meu amigo e minha amiga.

GRANDE ENCONTRO DE FAMÍLIA.

Hoje e amanhã acontece na cidade de Campina das Missões, RS, o 1º Encontro da Grande Família Marschall. este 1º Encontro e festa tem por finalidade reunir os descendentes da 1ª Família Marschall que, se eu não estiver enganado, emigrou da Alemanha para o Brasil, Rio Grande do Sul, na década de 1880 e daqui se espalhou pelo Brasil e países vizinhos e parece que até Estados Unidos.

Eu faço parte dessa Família por parte de minha mãe, Irena Marschall. Devido a compromissos aqui na Diocese não poderei estar fisicamente presente neste Encontro e Festa e assim conhecer centenas de parentes que se originam do mesmo ancestral.

No Sul do Brasil estes encontros têm se intensificado muito nos últimos anos. Trago este acontecimento para minha reflexão não com o objetivo de falar de MINHA família, mas para falar da FAMÍLIA em si, como Célula Mãe da sociedade e Igreja Doméstica.

É de domínio público que há no mundo todo, e de forma agressiva, no Brasil, uma orquestração PARA DESTRUIR A FAMÍLIA TRADICIONAL. Novas concepções de família são apresentadas, reconhecidas por governos e IMPOSTAS por meio da Educação escolar. São TOTALMENTE contrárias a tudo que já se viu em toda história humana. São verdadeiras aberrações, mas cada vez mais aceitas. Também é verdade que muitas “famílias” são apenas “AJUNTAMENTOS TRANSITÓRIOS” e que podem acabar a qualquer hora, sem medir consequências para os filhos, muitas vezes NÃO FRUTOS DO AMOR CONJUGAL, mas de DESCUIDOS ou ACASOS FORTUITOS OU PIOR, DE AVENTURAS “AMOROSAS”, PARA NÃO DIZER DE IRRESPONSÁVEIS.

Diante disso ao invés de eu falar, permito-me transcrever abaixo para nossa reflexão, duas canções do “sempre” Padre Zezinho e que cada um, se assim desejar, faça sua própria oração e reflexão:

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang.

1
Oração Pela Família – Padre Zezinho

Que nenhuma família comece em qualquer de repente
Que nenhuma família termine por falta de amor
Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente
E que nada no mundo separe um casal sonhador!

Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte
Que ninguém interfira no lar e na vida dos dois
Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte
Que eles vivam do ontem, do hoje em função de um depois

Que a família comece e termine sabendo onde vai
E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai
Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor
E que os filhos conheçam a força que brota do amor!

Abençoa, Senhor, as famílias! Amém!
Abençoa, Senhor, a minha também

Que marido e mulher tenham força de amar sem medida
Que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão
Que as crianças aprendam no colo, o sentido da vida
Que a família celebre a partilha do abraço e do pão!

Que marido e mulher não se traiam, nem traiam seus filhos
Que o ciúme não mate a certeza do amor entre os dois
Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho
Seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois

Que a família comece e termine sabendo onde vai
E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai
Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor
E que os filhos conheçam a força que brota do amor!

Abençoa, Senhor, as famílias! Amém!
Abençoa, Senhor, a minha também

2

UTOPIA

Das muitas coisas / Do meu tempo de criança
Guardo vivo na lembrança / O aconchego de meu lar
No fim da tarde / Quando tudo se aquietava
A família se ajeitava / Lá no alpendre a conversar

Meus pais não tinham / Nem escola, nem dinheiro
Todo dia, o ano inteiro / Trabalhavam sem parar
Faltava tudo / Mas a gente nem ligava
O importante não faltava / Seu sorriso, seu olhar

Eu tantas vezes / Vi meu pai chegar cansado
Mas aquilo era sagrado / Um por um ele afagava
E perguntava / Quem fizera estrepolia
E mamãe nos defendia / Tudo aos poucos se ajeitava

O sol se punha / A viola alguém trazia
Todo mundo então pedia / Pro papai cantar com a gente
Desafinado / Meio rouco e voz cansada
Ele cantava mil toadas / Seu olhar ao sol poente

Passou o tempo / Hoje eu vejo a maravilha
De se ter uma família / Quando tantos não a tem
Agora falam / Do desquite e do divórcio
O amor virou consórcio / Compromisso de ninguém

E há tantos filhos / Que bem mais do que um palácio
Gostariam de um abraço / E do carinho entre seus pais
Se os pais amassem / O divórcio não viria
Chamam a isso de utopia / Eu a isso chamo paz.

Eu poderia acrescentar ainda aqui “Maria de Minha Infância” onde ele lembra como aprendeu rezar “Ave Maria” desde criança, certamente no colo de sua mãe e pai.

VIVA A FAMÍLIA SEGUNDO O PROJETO ORIGINAL DE DEUS AO CRIAR O SER HUMANO!
A FAMÍLIA É CERTAMENTE O QUE DE MAIS SAGRADO E SANTO DEUS CRIOU.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang

Posted in Dom Guilherme.