GRATIDÃO E PERDÃO!

Bom dia meu amigo e minha amiga.

GRATIDÃO E PERDÃO!

Nesta ainda quase madrugada quando saio de Ipameri rumo à Goiânia para embarcar para Lages, o lugar onde minha MISSÃO deve ter continuidade, por mais que eu pensasse, não tenho outras palavras a escrever que não sejam, GRATIDÃO E PERDÃO.

Gratidão a Deus por ter me chamado a Ipameri e tudo o que aqui pude vivenciar, partilhar e crescer. Agradecer à Igreja por ter-me confiado responsabilidade tão grande, quanto ser pastor de um Rebanho que é de ninguém mais e nem menos que do Filho de Deus, Jesus. Gratidão cada uma das pessoas, católicas ou não que aqui foram parceiros do Projeto que não era meu, mas do Reino.

SEM DÚVIDA ALGUMA, SEM MENOSPREZAR NENHUMA EXPERIÊNCIA ANTERIOR, ESTA FOI ÚNICA PARA MIM.

Sei que sem todas as experiências, cargos, trabalhos anteriores, desde a primeira responsabilidade de formador de seminário de ensino fundamental e médio, a auxiliar na administração de seminário, reitor, capinando na roça com os seminaristas, montando a cavalo ou vacinando o gado, ou subindo em caminhão ou trator para o plantio ou colheita, até o de ser professor de filosofia, orientador de teologia, animador vocacional ou Pároco em algumas paróquias e Coordenador de pastoral em Dioceses, SEM ESTAS EXPERIÊNCIAS ANTERIORES eu não teria conseguido viver aqui tudo o que hoje AGRADEÇO com um SIMPLES, MAS SINCERO, “MUITO OBRIGADO”!

Tudo quanto puder AGRADECER ainda será pouco e sempre haverá a quem deveria ter gratidão mais destacada porque como Jesus ensinou AMOU mais esta Igreja, este Projeto de Evangelização e a minha própria pessoa, conforme Lucas 7,47.

A segunda palavra que deixo hoje aqui registrada é PERDÃO, porque por mais que eu queria ou tenha me esforçado para ser justo, tenho falhado em muitos momentos. mesmo que involuntariamente ofendi, magoei, falhei, não estendi suficientemente a mão à mãos estendidas em pedidos ou súplicas, mesmo que fosse de um “oi”, de um sorriso, de uma palavra. Perdão porque não consegui ser 100% dedicado a Deus no serviço aos irmãos e irmãs, ou por der feito ou permitido diferenças, conforme a religião, o grau de ensino ou a condição social. Perdão por ter sido severo ou duro em demasia em muitas ocasiões. Perdão pelos pecados pessoais ou por corroborar com pecados sociais. enfim, PERDÃO a Deus e a cada irmão ou irmã que não se sentiu amado por mim como irmão ou irmã.

Dentro de poucos minutos é hora de deixar a casa, a Diocese, a Paróquia da Catedral do Divino Espírito Santo, a cidade, e todas as cidades e comunidades urbanas ou rurais que perfazem a Diocese de Ipameri, e “ir para a Terra que o Senhor Deus me indicar”, assim como Javé disse certo dia a Abraão, “Sai de tua terra e vai para a terra que eu te mostrar” Gn. 12,1.

Aos que ajudaram e apoiaram, aos que criticaram, resistiram, foram à favor ou contra, aos que falaram bem ou mal, aos que me levantaram muitas vezes ou me empurraram, … INDISTINTAMENTE A TODOS E TODAS MINA GRATIDÃO E MEU PEDIDO DE PERDÃO.

Meu abraço fraterno a todos os irmãos e irmãs da Diocese de Ipameri e amigos e amigas desse chão sagrado do Goiás do Divino Pai Eterno e da Mãe de Jesus de tantos títulos.

Obrigado aos que leram esta mesma mensagem, mesmo não sendo daqui e compreenderam que hoje reservei atenção especial para quem me tratou de forma tão especial como este Povo Goiano, nestes 28 anos de missão.

Ó senhor Deus, abençoa estes teus filhos e filhas tão queridos. Abençoa também todos os meus novos irmãos e irmãs em cujos corações e casas peço licença para chegar. Abençoa também todas as pessoas que me acompanham diariamente ou sempre que podem em minhas simples palavras.

A bênção de Deus de infinita misericórdia, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre todos e todas, hoje e permaneça para sempre. Amém!

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang

Posted in Dom Guilherme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *