Maria, rosto materno do Pai

Por Dom Nelson Westrupp, scj
Administrador Apostólico de Lages

Ao longo do mês de maio, queremos contemplar em Maria “o rosto materno do Pai”, o rosto deste Pai que também é Mãe, ou como dizia o Papa João Paulo I: “Deus é mais Mãe do que Pai”, pois o conceito de mãe exprime melhor a sua ternura e o seu carinho para com a humanidade.
Na Sagrada Escritura, Deus é comparado com a mãe que consola (Is 66, 13), com a mãe incapaz de esquecer o filho de suas entranhas (Is 49, 15; Sl 25, 6; 116, 5). E Jesus se compara à mãe que quer reunir os filhos sob sua proteção (Lc 13, 34).
No fim dos tempos, Deus terá o carinhoso gesto da mais terna e bondosa das mães, enxugando as lágrimas dos nossos olhos, cansados de tanto chorar (Ap 21, 4).
Assim sendo, Deus pode ser experimentado e invocado como meu  Pai e minha Mãe, como nosso Pai e nossa Mãe…
E, certamente, nenhum outro ser humano pode refletir e retratar melhor esse rosto maternal de Deus do que Maria, a mais pura e a mais santa de todas as mulheres.
Concebida sem pecado original, Maria Imaculada e cooperadora na obra da redenção, foi sempre para a humanidade, a revelação da face bondosa e misericordiosa de Deus.
Ao dizer sim ao anjo, ao dizer “faça-se em mim segundo a tua palavra”, Maria Santíssima torna-se  o instrumento visível de Deus que é Amor. Empresta-lhe de sua carne e de seu sangue, para que o Filho de Deus se torne um de nós.
Com ela, o rosto amoroso e carinhoso de Deus chega a cada um de nós, trazendo luz e salvação.
Maria é a pessoa que mais experimentou a misericórdia, a bondade e o amor do Pai e, ao  mesmo tempo, e de modo admirável, tornou possível com o sacrifício do coração a própria participação na revelação dos atributos divinos…
De fato, o Filho de Deus se fez homem para ser imagem encarnada e visível do Pai e dos seus atributos, mormente do seu amor, bondade, ternura, misericórdia…, atributos tipicamente maternos.
Jesus retrata em Si mesmo a face misericordiosa e amorosa do Pai. “Quem me vê, vê o Pai” (Jo 14, 9). Quem vê Jesus, vê o Pai. Quem vê Jesus, vê Maria. Quem vê Maria, vê Jesus que vê o pai! Depois de Jesus, ninguém melhor do que a Sua Mãe retrata a imagem visível, o rosto de Deus…
Contemplando o rosto amoroso e misericordioso do Pai, revelado por Cristo, por ele que é imagem experimentável do Pai, facilmente chegamos a descobrir em Maria, Mãe de Jesus,  o rosto materno do Pai que está no céu…
Maria, no dizer de São Bernardo, é o “caminho real”  pelo qual Deus veio até nós e pelo qual nós podemos agora ir até Ele. Assim, o título “Mãe de Deus”  não só nos fala de Deus, mas nos revela também o verdadeiro rosto de Deus Pai, Filho e Espírito Santo.
Deus é o primeiro devoto de Maria.  Pois Ela é uma maravilha, não por aquilo que Ela fez ou conseguiu, mas pelo que Deus realizou nela: Seu retrato mais perfeito.
Se realmente acreditamos que Cristo está dentro de nós e no meio de nós, então, a exemplo de Maria, seremos os portadores e testemunhas vivas de Jesus, seremos o “rosto filial” do Pai, porque irmãos e irmãs Daquele que é o rosto autêntico do Pai e Filho querido de Maria, nossa Mãe.

Top