Palavra do nosso bispo, Dom Guilherme

Bom dia minha amiga e meu amigo.

“ESTE HOMEM ACOLHE OS PECADORES E FAZ REFEIÇÃO COM ELES” (Lucas 15,2).

Sem dúvidas que a minha formação religiosa que recebi desde a infância e depois, ao longo dos anos de seminário e, ainda mais, “as línguas das exigências sociais” devido minha condição de Religioso, Padre e depois, Bispo, SEMPRE ME CONDICIONARAM A QUE EU ANDE COM “AS PESSOAS DE BOA FAMA, AS PESSOAS DE BEM”.

É também verdade que somos NÓS que fazemos, a partir de normas morais, éticas e escalas de valores que CLASSIFICAMOS quem são estas “pessoas de boa fama ou pessoas de bem” e em consequência, também “AS PESSOAS DE MÁ FAMA E AS QUE NÃO SÃO DO BEM”.

A humanidade inteira, em TODAS AS GERAÇÕES, CULTURAS E RELIGIÕES sempre fez isso e certamente continuará a fazê-lo e até com boa dose de razão.

Até aqui não estou entrando no mérito desta questão.

O que desejo abordar é a questão: “PARA QUEM JESUS FOI ENVIADO” e em consequência, A QUEM A IGREJA DEVE SER ENVIADA E, PORTANTO, A QUEM NÓS MINISTROS DA IGREJA TAMBÉM DEVEMOS NOS SENTIR ENVIADOS?

É claro que Jesus foi enviado para TODA a humanidade porque TODOS E TODAS somos pecadores e pecadoras, EMBORA NEM TODOS E TODAS NOS RECONHEÇAMOS COMO TAIS e, por isso mesmo, nos CLASSIFICAMOS como melhores ou piores, mais puros e mais pecadores, mais . . .

Então deixemos a resposta à questão, “para quem Jesus foi enviado” na própria palavra Dele: Lc. 5,32 “Eu não vim chamar para a conversão os justos, mas os pecadores”; Lucas 19,10 “O Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”; Mateus 9,12,12-13 “Jesus ouvindo isto, respondeu-lhes: “Não são os que tem saúde que precisam de médico, mas os doentes”. Ide e aprendei o que significam estas palavras de Oséias 6,6: Eu quero a misericórdia e não os sacrifícios. EU NÃO VIM CHAMAR OS JUSTOS, MAS OS PECADORES”.

Eu poderia acrescentar aqui ainda muitas outras palavras de Jesus, mas creio que já está claro que NINGUÉM PODE ESTAR FORA DE NOSSA AÇÃO E “P R E S E N Ç A” PASTORAL E EVANGELIZADORA.

Assim como Jesus foi duramente CRITICADO pelos “JUSTOS”, “PUROS” e “SANTOS” de seu tempo, especialmente os que eram os DONOS da religião e CONTROLAVAM O TEMPLO, o mesmo continua acontecendo em TODAS AS IGREJAS CRISTÃS, inclusive em nossas Paróquias, Diocese, e mesmo no Vaticano, agora em especial com as ATITUDES E ENSINAMENTOS DO PAPA FRANCISCO, quando ACOLHE, DIALOGA E VAI AO ENCONTRO DOS CLASSIFICADOS “IMPUROS E PECADORES” DE NOSSO TEMPO.

Olhando no Evangelho, nas Palavras a ATITUDES podemos talvez entender o que o Papa Francisco nos pede quando diz, entre tantas outras palavras fortíssimas: “PREFIRO UMA IGREJA ACIDENTADA, FERIDA E ENLAMEADA POR TER SAÍDO PELAS ESTRADAS, A UMA IGREJA ENFERMA PELO FECHAMENTO E A COMODIDADE DE SE AGARRAR ÀS SEGURANÇAS”. . . . “COM OBRAS E GESTOS, A COMUNIDADE MISSIONÁRIA ENTRA NA VIDA DIÁRIA DOS OUTROS, ENCURTAR AS DISTÂNCIAS, ABAIXA-SE, SE FOR NECESSÁRIO, ATÉ À HUMILHAÇÃO E ASSUME A VIDA HUMANA, TOCANDO A CARNE SOFREDORA DE CRISTO NO POVO. OS EVANGELIZADORES CONTRAEM ASSIM O “CHEIRO DE OVELHAS”, E ESCUTAM A SUA VOZ”.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang”!

Posted in Dom Guilherme, Palavra do Bispo.