Orientações para a Missa da Crisma

Correto: Missa da Crisma e não missa do crisma.
Explicação: O Sacramento é da Crisma ou da Confirmação, já o Óleo é do Crisma.

Obs.: Os Catequistas devem orientar os Crismandos quanto à escolha dos Padrinhos e Madrinhas. Todo critério é importante, pois, trata-se de alguém que deverá ajudar o afilhado a permanecer firme no caminho da fé católica. Alguém que dê testemunho de vida cristã e comunitária.

—————————-

.  É muito importante a presença e o auxílio dos Cerimoniários e Coroinhas na Celebração.

1.  Os crachás com o nome dos Crismandos devem ser escritos com letras bem visíveis e grandes. Modelo: Verdana, 36, negrito. As meninas cuidar para que os cabelos não escondam os crachás. As madrinhas devem auxiliar suas afilhadas.
1.1 – Atenção: Padrinhos e Madrinhas na hora da Unção colocar a mão direita no ombro do crismando.

2. Se for fazer fotos dos Crismandos na entrada, estes devem iniciar a procissão 20 minutos antes da Missa, ou com um tempo a mais, de acordo com o número de Crismandos para não atrasar o início da Celebração. A Procissão de Entrada da Missa deve acontecer quando os crismandos já estão nos seus devidos lugares.

3.  É imprescindível que os Crismandos aguardem o momento da Celebração com espírito de alegria e silenciosa oração.

4.  Os Catequistas da Crisma devem conduzir os Crismandos, juntamente com os padrinhos, aos seus lugares, alguns minutos antes da procissão de entrada e orientá-los para que permaneçam em silêncio e participem ativamente, com atenção e devoção, nas orações da Missa, cantando as canções e pelo silêncio.

5.  Se for usar velas no momento da Renovação das Promessas Batismais, é aconselhável que os Catequistas da Crisma ou os Crismandos que estão nas pontas dos bancos se dirijam ao Círio Pascal, acendam suas velas e passem aos outros Crismandos. Propomos este modo para que o acendimento das velas não quebre o ritmo celebrativo, alongando demais o rito e prejudicando-o por isso.

6.  No momento da imposição das mãos, toda a assembleia deve acompanhar a prece feita pelo Bispo com o máximo de silêncio e espírito de oração. Este momento é o mais importante, então é necessário muito silêncio e compenetração, acompanhando a Oração feita pelo Bispo.

7. A fila dos Crismandos para a Unção só deve ser formada após a Oração e imposição das mãos.

8. Na hora da Unção com o Santo Óleo do Crisma, os Crismandos devem se aproximar do Bispo, acompanhados de seus padrinhos ou madrinhas. Os padrinhos devem colocar a mão direita sobre o ombro do afilhado. Nesta hora não deve haver canto, isso para possibilitar que o diálogo entre o Bispo e o Crismando seja bem ouvido por ambos. Apenas é aconselhável um fundo musical suave para favorecer o clima de oração na assembleia. Dado o ambiente celebrativo litúrgico e o momento oracional que encerra a invocação ao Espírito Santo também pela unção, o mais aconselhável são canções em estilo gregoriano, de preferência, referentes ao Espírito Santo (não escolher músicas marianas, por exemplo).

N. B.: Dom Nelson pede que haja total silêncio durante a Unção. Pode se cantar um refrão de um canto ao Espírito Santo, após a unção, com os Crismados em pé – um rápido momento de louvor! Enquanto o Bispo lava as mãos para iniciar as preces da Comunidade.

9.  Avisos e homenagens somente após a Bênção final.

10.  Se a Crisma ocorrer em Domingo Comum e se a Missa for num horário especial somente para os Crismandos, é rezada a Missa Ritual com leituras e orações próprias e paramentos vermelhos, se for a Missa em horário normal da Paróquia, Missa para a Comunidade, deve ser rezada a Missa dominical, ou seja, da Liturgia do Dia.

11. A melhor data para a celebração da Crisma é no decorrer dos Domingos Pascais ou durante o Tempo Comum. Mas, se for escolhida uma data que coincide com alguma solenidade, ou no Tempo do Advento, Quaresma ou Tempo Pascal, não pode ser mudada a liturgia, apenas se faz o Rito da Crisma no momento oportuno em que a liturgia o prevê. Com paramentos da cor litúrgica correspondente.

12. O Folheto da Crisma a ser adotado pode ser o “Deus Conosco” da Editora Santuário.

13. Para que a celebração não se prolongue em comentários sobre comentários, o simbolismo da água, do Círio Pascal e dos Santos Óleos que serão usados na celebração sejam explicados ou recapitulados no decorrer do último ensaio antes da celebração. Para a celebração em si, os comentários sejam breves, fazendo menção do rito e da finalidade do mesmo. Se for necessário, o Comentarista deve orientar a Assembleia sobre os momentos em que deve de ficar de pé ou sentada. O objetivo dos comentários é ajudar a Assembleia a entender e participar melhor da celebração.

14. De acordo com as orientações Litúrgicas da Igreja, o ministério da música (grupos, bandas ou corais) cante com suavidade e jamais deixem sobressair os instrumentos, a ponto de abafar as vozes. Vale lembrar que os instrumentos funcionam como suporte para que a voz torne-se louvor ou prece ao Pai durante a canção.

15. Se desejar, um Diácono ou Ministro, poderá segurar o microfone para o Bispo na hora da Unção, quando se pronuncia o nome do Crismando e a fórmula da Crisma. Isso ajuda a manter as pessoas atentas ao Rito.

16. Dom Nelson costuma usar o báculo em uma das mãos enquanto unge a fronte dos crismandos, por isso, é oportuno que o Padre ou o Diácono esteja atento para segurar o recipiente dos santos Óleos.

17. Se for conveniente, pode ser dada a comunhão sob duas espécies aos Crismados e Padrinhos. Crismados e Padrinhos devem comungar juntos.

18. O sacerdote deve auxiliar o Bispo a dar a comunhão para os crismados e padrinhos para não demorar. Enquanto isso, os Ministros/as dão a Comunhão para a comunidade.

19. É aconselhável marcar um encontro com os Crismados, após a Crisma, para a entrega da lembrança da Crisma.

Outras sugestões de Dom Nelson para a Crisma:

. Na Procissão de Entrada, o Diácono (quando tiver) ou o Padre, entrar solenemente, com o Evangeliário para dar ênfase à Palavra de Deus. Esse gesto substitui a procissão com a Bíblia, antes da proclamação da Palavra.
Queremos formar nossos fiéis que o importante é a Palavra de Deus e não o livro em si.

. Logo após a renovação das promessas batismais e antes da Oração de imposição das mãos, um crismando ou catequista, poderá entrar solenemente com o Santo Óleo do Crisma. Para a entrada do Óleo, fazer um breve comentário motivador sobre o sentido do Óleo com o qual os crismandos serão ungidos na fronte.
O Santo Óleo pode ser entregue ao Bispo ou depositado num lugar de destaque já preparado.

Modelo de comentário:

Vamos agora receber com alegria o Santo Óleo do Crisma com o qual nossos Crismandos e Crismandas serão ungidos na fronte e assim marcados com o sinal de Cristo para tornarem-se adultos na fé e soldados de Cristo Rei. Acompanhemos este momento com atenção, cantando: (um canto do Espírito Santo que não seja longo).

. Juntamente com o Santo Óleo, pode também haver a entrada de faixas com os Sete Dons ou velas acesas representando os Dons. Esse gesto ajuda os crismandos a perceberem a riqueza dos Dons que estão recebendo em plenitude no Sacramento da Crisma.

—————

N. B.: O Comentarista deve orientar a Assembleia que, logo após a proclamação do Evangelho, quando o Bispo dá a Bênção com o Livro dos Evangelhos, não se bate palmas, mas se benze, em atitude de receber a bênção que é dada aos fiéis nesse momento.

Outro momento para receber a bênção do Bispo é durante a Procissão de Entrada quando o Bispo entra abençoado a Assembleia. É oportuno fazer o sinal da cruz.

Ir. Maurinéa Aparecida dos Santos
Secretária de Dom Nelson – Administrador Apostólico de Lages
Maio 2017

Top