SÃO JOSÉ, ESPOSO DE MARIA, A MÃE DE JESUS.

Bom dia meu amigo e minha amiga.

SÃO JOSÉ, ESPOSO DE MARIA, A MÃE DE JESUS.

Começo o texto da reflexão de hoje saudando todos os homens e mulheres de nome ou derivados desse nome santo, JOSÉ. Ter um padroeiro no céu, por alguém que foi escolhido a dedo pelo próprio Deus para ser ESPOSO da mulher mais perfeita e santa que já foi nascida em toda história da humanidade, só pode ser também o mais santo e perfeito dos homens, inclusive superior a Abraão, o pai da fé e de Moisés, Elias ou outras figuras proeminentes entre os humanos. Tudo bem que Jesus declara que “de todos os nascidos de mulher, ninguém foi superior a João Batista”, mas refere-se ao Batista, enquanto PRECURSOR do próprio Messias. Porém entre os que tiveram por vocação e missão ser ESPOSO, ninguém supera São José.

Nestes tempos de crise por onde vive e passa o casamento e em consequência, a família, é sumamente importante voltar apresentar São José como modelo de esposo exemplar, fidelíssimo à sua esposa, dedicado protetor familiar, capaz dos maiores sacrifícios e mesmo de colocar sua vida em risco pela segurança da esposa e filho, mesmo que este não seja de seu sangue carnal, mas recebido por mandato divino.

Enquanto esposo de Maria e pai adotivo ou nutrício de Jesus, como é mais conhecido na Igreja, não deixou de cumprir uma vírgula de suas obrigações. Além de extremado amor por sua amada, assumiu a paternidade em plenitude. Certamente é também MODELO DE EDUCADOR DO FILHO.

Gostaria de dedicar uma pequena palavra ao “Pai Educador”. Diretamente a bíblia não se refere a isso, mas deixa transparecer sua dedicação na educação do filho Jesus e de como foi exemplo e modelo cujos passos o filho seguiu a tal ponto que, antes de ser conhecido e reconhecido como Messias ou Filho de Deus, todo povo, de Jerusalém de Nazaré e da Galiléia, o conhecem e reconhecem como “FILHO DO CARPINTEIRO”. Com certeza haviam muitos carpinteiros naquela região, mas José deve ter sido tão expoente na profissão e paternidade assumida, que não precisavam nem dizer seu nome. Bastava dizer “O CARPINTEIRO” de Nazaré que todo mundo já sabia que se tratava de José, o Esposo de Maria e pai de Jesus.

Ainda uma palavra sobre a importância do JOSÉ, PAI QUE ENSINA O FILHO A TRABALHAR. Graças a Deus, naquele tempo não haviam algumas leis do nosso mundo globalizado, tecnicista, evoluído e da pós modernidade, onde com toda “sabedoria” de hoje em dia, se afirma que a criança e adolescente não podem “TRABALHAR” e aqui me refiro ao “TRABALHO” não como exploração infantil, mas OCUPAÇÃO DE PEQUENAS TAREFAS E RESPONSABILIDADES DOMÉSTICAS e que é melhor deixar os filhos e as filhas entregues À DESOCUPAÇÃO ou então à internet com seus jogos, diversões e brinquedos que deseducam para a ética, a moral e incitam para a violência, o consumismo, a imoralidade e a total falta de ética e onde para se “VENCER” vale qualquer recurso e desonestidade.

É muito importante notar que Jesus ACOMPANHAVA E AJUDAVA SEU PAI JOSÉ NA OFICINA DE NAZARÉ, ORA ALCANÇANDO UMA FERRAMENTA, OU BUSCANDO ALGUM OBJETO E FAZENDO PEQUENOS EXPERIMENTOS NA MEDIDA QUE CRESCIA E PODIA, ATÉ APRENDER TODA PROFISSÃO DO PAI, e NADA disso causou TRAUMAS em Jesus. Pelo contrário, Jesus gostava ser chamado de Carpinteiro ou Filho do Carpinteiro.

Temos muito a aprender de JOSÉ, ESPOSO E PAI.

São José, esposo de Maria e pai nutrício de de Jesus, Rogai por nós e protegei os casamentos modernos e as famílias.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang

Posted in Dom Guilherme.