“TIRAI ISSO DAQUI! NÃO FAÇAIS DA CASA DE MEU PAI UMA CASA DE COMÉRCIO” (Jo.2,16)

Bom dia minha amiga e meu amigo.

“TIRAI ISSO DAQUI! NÃO FAÇAIS DA CASA DE MEU PAI UMA CASA DE COMÉRCIO” (Jo.2,16)

Estamos no 3º domingo da Quaresma e da Campanha da Fraternidade e somos chamados a viver a Fraternidade SUPERANDO toda e qualquer forma de VIOLÊNCIA. É o próprio Jesus que nos lembra que nós “somos todos irmãos e irmãs” (Mt.23,8).

Deus, nosso Pai sente-se agredido e violentado de modo muito especial, sempre que algum de Seus filhos ou filhas é agredido ou violentado. E mais, sempre que “SUA CASA” é agredida, profanada, prostituída, violentada.

Os TEMPLOS físicos e construções das mãos humanas, isto é, MORADAS ou CASAS onde Deus quer morar, somente são reconhecidos como ESPAÇOS SAGRADOS = TEMPLOS, quando lá dentro não se arquitetam roubos, e VIOLÊNCIAS contra os FILHOS E FILHAS DELE, reconhecidos por Jesus MORADAS DO ALTÍSSIMO..

Jesus, ao expulsar os que transformaram o Templo de Jerusalém em CASA COMERCIAL e de EXPLORAÇÃO e ao derrubar as mesas do cambistas com seu dinheiro, quer nos ensinar que uma das maiores violências e profanações que podemos praticar contra o ser humano e que ofendem diretamente o coração de Deus, é quando MERCANTILIZAMOS A VIDA HUMANA.

Hoje em dia de modo especial isto acontece pelas NOVAS leis trabalhistas totalmente injustas que privilegiam o dinheiro, lucro das empresas ou de seus donos e o capital especulativo.

Acontecem ainda quando promovemos trabalhos escravos ou semelhante à escravidão, quando adotamos uma política econômica que tira um dos direitos mais sagrados do ser humano, que é o DIREITO AO TRABALHO, digno, honesto e de cujos frutos o trabalhador e sua família possam viver em segurança.

Esta mesma agressão e violência acontece sempre que TRANSFORMAMOS OS TEMPLOS (igrejas) EM CASAS COMERCIAIS, onde se vendem falsos milagres, falsas curas, falsas orações, ou quando os cartazes e “orações de dízimo” e as mesas de recolhimento de dízimos são mais visíveis e de maior destaque que a Palavra de Deus; quando em “celebrações religiosas” se recolhem sacos e malas de dinheiro, ao ponto de ter que transportá-lo aos bancos ou às casas dos pastores mercenários com esquemas de segurança, à semelhança dos bancos. Quando em nossos templos cristãos, os pastores e pastoras e sua matilha ou alcatéia, após cada culto, saem mais ricos e seus “fiéis” mais pobres porque lhes foi feita uma lavagem cerebral, fazendo-os acreditar que quanto mais “oferecem” de seus minguados salários, terão PROSPERIDADE e melhorarão sua condição de vida.

Toda violência, seja ela física, moral, psicológica ou de qualquer outra espécie que praticamos contra um ser humano, DESDE O VENTRE MATERNO ATÉ SUA MORTE NATURAL, é uma profanação e prática de violência contra o mais santo de todos os TEMPLO DE DEUS.

No caminhar quaresmal em preparação da Páscoa, possamos tomar sempre mais consciência das violências e profanações que praticamos e pela oração, jejum e esmola, isto é, justiça e caridade cristã, nos em empenhemos com todas as nossas forças por SUPERÁ-LAS, construindo assim um mundo de irmãos e irmãs.

+ Guilherme Antonio Werlang Werlang

Posted in Dom Guilherme.